Sem categoria

Coisas que aprendi viajando sozinho

Escrito por Túlio Moura

Descobrir um lugar na areia da praia para ver o sol nascer, tirar fotos incríveis de uma viagem, descobrir novos sabores e dar aquele abraço forte em alguém especial. Tudo isso são experiências que vivemos em viagens. Mas você já desistiu de algum plano por ter que viajar sozinho?

A solidão é um pouco assustadora para muitas pessoas. Estar em um lugar desconhecido sem alguém pra conversar pode soar muito ruim. Entretanto, muitas pessoas até preferem o silêncio de estar só, do que estar presente em um grupo seguindo um roteiro.

Viajar sozinho tem muitas vantagens. Poder montar seu próprio roteiro e fazer o que der na telha, na hora que quiser e como quiser, por exemplo. Além disso, você vive bons momentos de reflexão e acaba se presenteando com muitos aprendizados.

Alguns apertos, risos aleatórios que escapam enquanto pensamos, liberdade… uma infinidade de sentimentos e novidades que surgem e a gente tem que aprender a lidar com eles ali, sozinho, com a cara e a coragem.

viajar-sozinho-aprendizado

Viajar sozinho não é solitário

O sol nascendo e tocando os telhados das casas, o tão esperado show da minha banda favorita, as cidades que mais quis visitar em toda minha vida, meus estudos em outras línguas sendo colocados em prática. Enfim, estive sozinho em muitos dos meus melhores momentos.

Entre risos e algumas lágrimas, aprendemos a lidar com aquele o fato de não poder compartilhar nossos sentimentos enquanto viajamos sozinhos. Na verdade, é uma ótima oportunidade para aprender a aproveitar o máximo de si mesmo.

Além do contato consigo mesmo, viajar é uma ótima oportunidade para fazer amigos. Não tenha medo de sentar em um bar ou ir a uma festa. Pelo contrário, vá e crie coragem para interagir e fazer boas amizades. Alguns dos meus melhores amigos conheci na fila de um show.

 Sair da zona de conforto

Em primeiro lugar, vivemos em nosso mundo e damos proporções surreais aos nossos problemas. Sair da zona de conforto significa estar pronto para ter que mudar tudo, desde o que você come até o local que você vai dormir – muitas vezes pode ser a cadeira de uma rodoviária.

Ficamos mais desapegados e nos abrimos mais para novas experiências. É uma boa oportunidade para deixar tudo te afetar de uma forma diferente; experimente e divirta-se.

Viajar-sozinho-paris

Resolver problemas e lidar com imprevistos

Planejar é necessário! No entanto, devemos sempre contar com imprevistos. Não dá pra adivinhar que o dono do airbnb não vai estar em casa. Nem mesmo se o hotel que você reservou realmente existe. Por isso, é bom estar sempre pronto para um plano B. Muitas vezes, temos que inventar na hora!

Quem já teve que vestir quase todas as roupas para embarcar com uma mala mais leve sabe do que estou falando. A gente acaba se divertindo e aprendendo a lidar com essas coisas.

Organização é tudo

Separe todos os seus documentos em um saco plástico. Não serve envelope pardo – pense que pode estar chovendo. Além disso, tenha sempre uma mochila com o essencial (vai que… né?). Quem não sabe disso acaba aprendendo da pior forma: se perdendo tentando encontrar a identidade ou uma escova de dentes.

Além de facilitar com os documentos, fica mais fácil de conferir toda a bagagem antes de partir.

 

viajar-sozinho-praia

Desconectar-se

Hoje em dia temos os celulares como uma extensão de nossa vida. Repare como ficamos dependentes e até nos esquecemos do que está a nossa volta. Isso nunca foi saudável.

Viajando sozinho encontrei o momento perfeito para me desconectar disso tudo e viver mais o que está à minha disposição. Tire fotos sem se preocupar em publicá-las, depois você faz isso. Além do que, é bem mais seguro andar em algum lugar desconhecido sem carregar chamativos para os assaltantes.

Viajar dá aquela sensação de que somos grãozinhos de areia perante o universo. Mesmo os seus problemas mais sérios são como uma poeira perto do tamanho do mundo. Aproveite isso, deixe tudo pra lá e veja a beleza das pequenas coisas ao seu redor.

 

Arrisque novos sabores

Você está prestes a visitar uma cultura diferente, vai ficar comendo sanduíche de franquia? Escolha os lugares mais tradicionais e menos turísticos possíveis. Peça o que um morador comeria, arrisque, prove, não tenha medo. O máximo que vai acontecer é você não gostar de algo e parar imediatamente de comer.

O importante nesse aprendizado é estar aberto aos novos sabores, mesmo que a ideia não nos agrade muito. Antes de viajar, por exemplo, eu odiava pimentão e não cogitava comer carne crua. Adivinhe quais foram minhas melhores experiências com comida nova? Tartare coreano e comida mexicana!

viajar-sozinho-aprendizado

Reinvente-se, aproveite, experimente

Por fim, o velho clichê: aproveite o momento. Mas aproveite mesmo! Lembre-se que é hora de se reinventar, redescobrir suas paixões e voltar ainda mais motivado. É o momento perfeito para enxergar a realidade que vivemos sob outra perspectiva.

 

Viajar é muito bom! Quando voltamos, temos a sensação de que muita coisa aconteceu, mas nada mudou. Isso é porque nós mudamos, vivemos experiências incríveis e passamos por transformações que abriram nossa cabeça.

Não deixe de viajar por falta de companhia, lembre-se que tudo é uma questão de aprendizado!

E você? Gosta de viajar sozinho? Quais foram os seus aprendizados?

 

Sobre o autor

Túlio Moura

Deixe um comentário

--