Ouro Preto

Pico do Itacolomi – Ouro Preto

Pico do Itacolomi
Escrito por Antonio JR

Pico do Itacolomi – Ouro Preto

O Parque Estadual do Itacolomi está situado em Ouro Preto, Minas Gerais e foi escolhido pela SETUR (Secretaria do Estado de Turismo) como um dos parques que seriam divulgados em uma ação intitulada: Blogueiros por Minas. Essa ação focou 3 importantes parques mineiros. Vários blogueiros foram convidados e cada grupo conheceu um desses parques e o Retrip partiu para Ouro Preto. Além do Parque que era o alvo em questão, pude conhecer mais de Ouro Preto, Mariana e Lavras Novas, cidades e distrito que estão no entorno do Parque e que também merecem destaques nos próximos posts que contarei por aqui.

A ação aconteceu entre os dias 19 e 22 de maio/2016 e contou também com o blog Quero Viajar Mais do Guilherme Tetamanti. Foi um final de semana incrível e em excelentes companhias. Nessa subida ao Pico, o pessoal dos Nerds Viajantes – Lillian e Helder também nos acompanharam e assim, pudemos curtir uma boa prosa.

Fomos durante dois dias ao Parque do Itacolomi. A ideia era fazer tudo em um único dia mas como o tempo estava com muita neblina, não subimos o Pico do Itacolomi no primeiro dia e contamos com a sorte de um dia seguinte mais ensolarado.

O Parque tem muitos atrativos legais e o melhor é você passar um final de semana por lá. Digo finais de semana contando com a disponibilidade das pessoas de só conseguirem fugir para um final de semana mas durante a semana o parque fica mais vazio e conta com todas as mesmas opções. Pode ser uma boa!

Estrutura:

O Parque conta com uma estrutura completa para você e sua família. Há possibilidade de hospedar em casas ou utilizar a área de camping. O Parque possui um grande e estruturado parquinho para crianças (rústico e todo em madeira) e também churrasqueiras para aquele momento de confraternização.

Pico do Itacolomi

Parque para criançada – Pico do Itacolomi

São algumas casas estilo chalé e se preferir a área de camping também é muito utilizadas, principalmente pelos mais aventureiros. Nela, há um conjunto de vestiários que facilitam muito a vida de quem está acampado.

Atrativos:

Trilhas – São várias pequenas trilhas que percorrem os ecossistemas naturais que variam conforme alternância dos terrenos. Desde campos rupestres até mata atlântica. Fica nítida a diferença quando vamos mudando de ambiente. Saímos de ambientes onde possuem afloramentos rochosos e vamos entrando por uma área de vegetação mais alta que cobrem a trilha deixando-a mais úmida e fresca, ou vice-versa.

Pico do Itacolomi

Placas Identificativas da Trilha do Pico do Itacolomi

Pico do Itacolomi

Trilha da Capela – Pico do Itacolomi

Muitos animais silvestres habitam o parque. O interessante é que no centro de viajantes você pode conhecê-los e ainda escutar o som reproduzido por eles, um barato e se você tiver com seu filho, ele irá amar!

Como disse anteriormente, são várias trilhas espalhadas pelo parque. Todas, com exceção da subida do Pico do Itacolomi que é de dificuldade média/alta, as outras são super simples e gostosas de fazer. Curti todas elas:

Trilha da Capela: distância: 1.400m  | Tempo Percurso:  1h | Grau de Dificuldade:   baixo

Trilha da Lagoa:  distância:     450m  | Tempo Percurso:  20min | Grau de Dificuldade:   baixo

Represa do Custódio: distância:   7.600m  | Tempo Percurso:  2h30min  | Grau de Dificuldade:   médio

Pico do Itacolomi

Represa do Custódio

Mirante do Custódio: distância:   4.600m  | Tempo Percurso:  1h30min | Grau de Dificuldade:  médio

Pico do Itacolomi: distância:     7.600m  | Tempo Percurso:  2h30min | Grau de Dificuldade:  médio/alto

O Pico do Itacolomi é o ponto mais alto do parque e está a 1772 metros de altitude. Lá do alto podemos visualizar várias cidades quando o dia está bom. Demos sorte em nossa escolha, e conseguimos ver tudo que gostaríamos, até Belo Horizonte pode ser vista de lá.

Pico do Itacolomi

Pico do Itacolomi

Pico do Itacolomi

Visão do Pico do Itacolomi

Curiosidade: Itacolomi vem do Tupi e significa: Ita (pedra) e curumim (menino).

A subida não tem grau de dificuldade alto mas merece algumas pausas. Principalmente se você é sedentário e não tem o hábito de caminhar. Mas nada que um bom planejamento não resolva. Vá com passos curtos e curtindo a natureza, que é espetacular.

Pico do Itacolomi

Tilha do Pico do Itacolomi

Para subir o Pico, só acompanhado do monitor e neste caso com agendamento prévio. Eles adoram subir lá. O Felipe, monitor que nos acompanhou não se cansa de acompanhar turistas e adora o seu “escritório de trabalho” como ele mesmo diz.  Uma pessoa tranquila que fez a caminhada ficar mais agradável.

Pico do Itacolomi

Galera – Pico do Itacolomi

Eu curti a subida. É claro que tenho preparo para fazer facilmente mas no grupo tinha alguns que não tinham prática. Fizeram um esforço mas conseguiram subir e aproveitar todo o visual.

Outros Atrativos – Como o parque está situado em uma região que antes era uma importante área de plantio de chá, o lugar possui algumas construções interessantes de visitar. Além do Centro de Visitantes, a Capela São José, a Casa Bandeirista e o Museus do Chá são paradas culturais obrigatórias.

Abaixo não consideradas trilhas mas são atrativos que merecem destaques e sua localização tendo como ponto de partida, o Centro de Visitantes.

Lagoa da Capela: distância:     200m  | Tempo Percurso:  5min | Grau de Dificuldade:   baixo

Na lagoa é possível nadar, descer de tirolesa e ainda fazer slackline (verificar se está montado). Uma agradável área e acaba sendo um ponto de encontro. Dei um Jump na lagoa pela tirolesa e apesar da água fria, foi uma delicia!

Pico do Itacolomi

Lagoa – Pico do Itacolomi

Pico do Itacolomi

Pico do Itacolomi

Capela São José: distância:   250m | Tempo Percurso:  8min | Grau de Dificuldade:   baixo

Capela de São José é uma simpática capela construída no século XX por conselho de um padre que sugeriu a erguesse para afastar os “assombros”. Não a conhecemos por dentro pois ela estava fechada.

Pico do Itacolomi

Capela São José – Pico do Itacolomi

Casa Bandeirista: distância:     100m     |    Tempo Percurso:  3min    |    Grau de Dificuldade:   baixo

A Casa Bandeirista é datada de 1708. É tombada como patrimônio histórico e é um marco da arquitetura bandeirante do início do século XVIII. Há rumores que esse edifício foi o primeiro prédio público das gerais e também onde era cobrado o quinto do ouro.

Pico do Itacolomi

Casa Bandeirinhas

Pico do Itacolomi

Casa Bandeirinhas

Museu do Chá: No século XX, entre os anos 30 e 80, o Parque ainda era uma fazenda de plantio de chá. O museu está onde é exatamente a área de beneficiamento. Alguns maquinários se encontram no local.

Pico do Itacolomi

Museu do Chá

Passeios de Bike

Muitos bikers passam por lá. Eles acabam fazendo algumas trilhas e alguns até partem da entrada do parque que fica logo na Rodovia 356, próximo ao quilômetro 98.

Tem ônibus que leva até o trevo e para aqueles que chegam em Ouro Preto ou Mariana de ônibus.

Como ir

Para quem vai de Belo Horizonte, deve pegar a BR 040, sentido Rio de Janeiro e entrar no Trevo de Ouro Preto, na região do Alphaville, na rodovia dos inconfidentes. Sentido Mariana e Ponte Nova até o km 98.
Para quem vai do Rio de Janeiro, deve pegar a BR 040,sentido Belo Horizonte até o trevo de Ouro Branco, passar por Ouro Branco e seguir a Estrada Real até Ouro Preto. Pegar a BR 356 até o km 98.
Parq quem vai de São Paulo. Pegar a Fernão Dias até Belo Horizonte e seguir a explicação citada acima.

DICAS RETRIP: 

e-mail: peitacolomi@meioambiente.mg.gov.br

telefone: 31 35516193

Dicas do Parque

Planejamento é fundamental

  • Entre em contato prévio com a administração da área
  • Informe-se sobre as condições climáticas
  • Certifique-se de que você possui uma forma de acondicionar seu lixo
  • Escolha as atividades que você vai realizar na sua visita

Você é responsável pela sua segurança

  • O salvamento em ambientes naturais é caro e complexo
  • Avise a administração da área sobre sua visita
  • Tenha certeza que você dispõe de equipamento adequado para cada situação
  • Caso você não tenha experiência, não se arrisque sozinho

Cuide dos locais por onde passa, das trilhas e do acampamento

  • Mantenha-se nas trilhaspré-determinadas
  • Não cave valetas ao redor das barracas
  • Não faça fogueiras

Leve seu lixo de volta

  • Embalagens vazias pesam pouco e ocupam um espaço mínimo em sua mochila
  • Leve o seu papel e outros produtos higiênicos de volta

Deixe cada coisa em seu lugar

  • Tire apenas fotografias, deixe apenas suas pegadas, e leve apenas suas memórias

Respeite os animais e plantas

  • Observe os animais às distância
  • Não alimente os animais
  • Não retire flores e plantas silvestres

Seja cortês com outros visitantes e com a população local

  • Trate os moradores da área com cortesia e respeito
  • Prefira contratar os serviços locais de hospedagem, transporte e serviços
  • Deixe os animais domésticos em casa

Sobre o autor

Antonio JR

Sou um amante da natureza e de esportes outdoor. Corredor de montanha, sou um aficionado por trilhas e terrenos acidentados. Tenho um carinho por tudo que envolve arte e a música é outra atividade que me libera endorfina. Um apaixonado pelo mundo, acredito no poder transformador de cada viagem e com elas adquiro vivência e experiência para minha vida.

Deixe um comentário